Os benefícios do controle e planejamento financeiro: estudo de caso em uma agropecuária

DSpace/Manakin Repository

Os benefícios do controle e planejamento financeiro: estudo de caso em uma agropecuária

Show full item record

Title: Os benefícios do controle e planejamento financeiro: estudo de caso em uma agropecuária
Author: Chassot, Guilherme José
Abstract: Tendo em vista o cenário econômico-financeiro, em que as empresas estão inseridas, são identificadas constantes mudanças no processo de gestão dos fatos decorrentes das atividades, as quais influenciam de forma direta e indireta nas empresas de todos os portes, mas ocorre de maneira mais acentuada nas pequenas empresas, que apresentam grandes índices de mortalidade, dessa maneira são obrigadas a possuir pessoal capacitado para atuá-lo na administração, para que possa tomar importantes decisões a curto e longo prazo, gerindo de forma estratégica todas as áreas da empresa (SEBRAE, 2010). De acordo com De Paula (2008, p.4) “o fechamento dessas unidades produtivas traz consequências negativas para a economia do país, como a perda de capital de investimento, o aumento das taxas de desemprego e o aumento da inadimplência dessas empresas com outras empresas e o governo”. Desta forma, teve como objetivo descrever os benefícios do controle e planejamento financeiro na Paniz Agropecuária Ltda de Humaitá, quanto a utilização do fluxo de caixa, do ciclo operacional e financeiro, visando identificar benefícios no processo de tomada de decisão. Justifica-se pela relevância da administração financeiranas empresas, o estudo buscou contribuir no sentido de analisar os dados atuais, realizar as projeções futuras, mensurar os ciclos financeiros De modo a auxiliar o processo de tomada de decisão. No que tange a natureza da pesquisa classificou-se a mesma como aplicada (VERGARA, 2000). A pesquisa descritiva aplica-se a este trabalho, pois descreve os resultados da pesquisa, tendo como enfoque os benefícios do controle e planejamento financeiro em uma agropecuária. De acordo com Mynaio (1994), Gil (1999), Silva e Menezes (2001), Oliveira (1997) e Richardson et al. (1989) apud Zamberlan et al. (2014), a pesquisa seguiu à abordagem qualitativa, e quanto aos procedimentos técnicos a pesquisa foi classifica como bibliográfica, por observações, entrevista e análises de documentos por meio de estudo de caso. De acordo com Zamberlan et al. (2014, p. 149) “em estudo qualitativo o jeito certo para analisar dados é fazê-lo simultaneamente com a coleta de dados. Sem dúvida, sem análise contínua os dados podem não ter foco”. Dessa maneira, os dados qualitativos foram analisados e transformados em informações através da confrontação destes com os conceitos e teorias abordados ao longo do presente estudo, gerando informações importantes para a construção de alternativas pertinentes à problemática do estudo. O método de coleta de dados utilizado foi à pesquisa documental, que se deu através de informações contidas nos documentos conservados no interior da organização. Assim como, a realização de entrevista, aplicada ao proprietário, e análise de demonstrativos e relatórios contábeis. Para análise dos dados foi utilizado o método qualitativo De modo a responder o objetivo do estudo com analise descritiva. De acordo com Silva (1996), o fluxo de caixa é considerado um dos principais instrumentos de análise, propiciando identificar o processo de circulação do dinheiro, pois, ele tem a capacidade de examinar as entradas e saídas de dinheiro que transitaram pela empresa, assim como o que ainda não aconteceu, mas que está projetado para o futuro. Com relação às despesas e receitas trimestralmente, pode constatar que as receitas foram superiores as despesas, e ainda, do primeiro para o segundo trimestre houve uma queda nas receitas totais de R$ 127.402,68, porem a entrada de dinheiro a vista aumentou R$ 22.855,04, consequentemente reduzindo as vendas a prazo. No que tange o fluxo de caixa realizado, foi levantado e coletado todos os dados no balancete e demonstrativo do resultado do exercício da organização, podendo identificar a os aspectos mais relevantes que determinam as entradas de dinheiro e os desembolsos. No que se refere às entradas ouve um aumento de 15,07% do 1° trimestre de 2015 para o 2° trimestre de 2015. Já os desembolsos tiveram um aumento de 8,33% no trimestre, dessa forma, a empresa conseguiu obter um bom resultado, influenciando diretamente no aumento de 34,89% do seu saldo inicial de caixa. Através das análises feitas no fluxo de caixa realizado, e também dos fatores externos econômicos, foi elaborado o fluxo de caixa projetado para o 3° e 4° trimestre de 2015, assim como para 1° e 2° trimestre de 2016. Dessa forma, pode-se analisar que as projeções feitas tiveram uma queda de 32% das suas entradas e 31,5% dos seus desembolsos, isso para os dois últimos trimestre de 2015, fato que se deu, pelo fechamento de uma filial e pela variação da economia. Os valores projetados para o fluxo de caixa realizado para os dois primeiros trimestres de 2016 basearam nos fluxos realizados e projetados em 2015, assim como as estimativas do setor agropecuário. Verificando uma queda de 3,66% das entradas, em contrapartida os desembolsos tiveram uma elevação de 4,99% dos recursos, essa elevação ocorreu pelo aumento das despesas com pessoal (4,99%), serviços de terceiros (4,99%), combustíveis (4,99%) e impostos (4,99%). No que tange os procedimentos dos ciclos operacionais e financeiro da organização em estudo, pode-se observar uma queda nos prazos médios de vendas, sendo que no 1° trimestre de 2015 chegou em 1,56 meses, já no 2° trimestre passou para 1,19 meses, fato que se deu pela diminuição dos estoques e pagamentos a vista. Nos prazos médios de cobrança ouve um aumento do 1° para o 2° trimestre, passando de 2,85 meses para 3,02 meses, chegando nessa maneira no 1° trimestre de 2015 num ciclo operacional de 4,41 e no 2° trimestre chegou em 4,21. Quanto ao giro de caixa da empresa, pode-se identificar que ouve uma pequena elevação quanto aos prazos médios de pagamento a fornecedores, sendo que no 1° trimestre de 2015 foram 1,10 meses, já no 2° trimestre de 2015 foi de 1,18 meses, significando que a empresa conseguiu um pequeno aumento para pagar os seus fornecedores, contribuindo na queda do ciclo de caixa, chegando em 3,03. Uma das estratégias gerenciais para o ciclo de caixa da empresa é a busca por um nível mínimo de estoque sem que isso cause queda nas vendas. Fazendo isso a empresa terá um período de estoque menor culminando num maior ciclo operacional e de caixa. A empresa também deve buscar receber as suas contas com maior rapidez possível sem que isso cause uma queda nas vendas devido a política agressiva de cobranças. Outra estratégia que pode ser adotada pela empresa é pagar tão lentamente quando possível seus fornecedores, ou seja, as contas devem ser saldadas no último dia possível. Fazendo isso, a empresa irá utilizar as contas a pagar como fonte de financiamento de curto prazo de suas operações. Com os levantamentos apurados, juntamente com os resultados, é possível identificar vários benefícios que os mesmos irão proporcionar a empresa: contribuíram na tomada de decisão, diagnóstico de problemas financeiros, a rentabilidade do negócio, o giro de estoque, os prazos de recebimentos e pagamentos, a proporção de capital investido, o saldo ideal de caixa, o ciclo operacional e de caixa. O controle de fluxo de caixa é uma ferramenta essencial para a administração do disponível e o sucesso da empresa, em termos de planejamento e controle financeiro. Com a implantação dessa ferramenta na agropecuária, o gerente financeiro poderá planejar a captação de recursos para pagamento de despesas com antecedência, sincronizar os recebimentos dos clientes com o pagamento dos fornecedores, estabelecerem a melhor data para amortização dos financiamentos e mais uma série de outras ações que antes não podiam ser planejadas. Observou-se através desse estudo, a importância do controle e planejamento financeiro para a empresa, isso faz com que tenha uma provisão de recursos a curto e longo prazo, como também um controle mais preciso dos seus custos, das negociações com fornecedores, dos seus prazos de pagamentos e recebimentos, agregando um ciclo operacional e financeiro mais eficaz na gestão da organização. Para a empresa em estudo, este trabalho também foi muito útil, pois a mesma não possuía tal ferramenta, apenas certos controles internos, mas estes não davam certeza de seus valores, e era de pouca valia para tomadas de decisões, agora com o modelo de fluxo e caixa sugerido, bem como as planilhas auxiliares, a empresa terá um controle gerencial mais completo e detalhado. Salienta-se por fim, a importância de identificar os tipos de controles e planejamentos financeiros necessários a empresa, tendo em vista uma eficiência e melhoramento constante na sua área financeira.
Description: 91 f.
URI: http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/3270
Date: 2016-04-12

Files in this item

Files Size Format View Description
Os benefícios d ... ) Trabalho atualizado .pdf 2.595Mb PDF View/Open Trabalho de Conclusão de Curso

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account