A violência contra a mulher

Show simple item record

dc.contributor.author Bonmann, Emanuele Aline Löwe
dc.date.accessioned 2014-03-17T19:00:24Z
dc.date.available 2014
dc.date.available 2014-03-17T19:00:24Z
dc.date.issued 2014-03-17
dc.identifier.uri http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/2116
dc.description 29 f. pt_BR
dc.description.abstract O presente trabalho tem o propósito de discutir sobre a dinâmica psíquica feminina e sua relação com a violência conjugal. Para isso, com base em pesquisa bibliográfica, partimos do pressuposto de que a menina necessita enfrentar um duplo entrave para aceder à posição feminina: ela precisa abdicar de uma zona genital erógena primária, que é o clitóris, e passar para a excitabilidade vaginal, que se apresenta como contingente do pênis, e, posteriormente, o desejo de possuir um pênis é trocado pela vontade de ter um filho. Além disso, é demandado à menina que abandone a mãe como objeto amado e comece a desejar o pai. Como a mãe é objeto de desejo do pai, ela passa a ser o seu referencial identificatório. Contudo, a menina acaba deslocando o desejo que sentia pelo pai para outros homens na vida adulta. Assim, a escolha do objeto de amor, posteriormente na puberdade, está relacionada com a história do sujeito, alicerçada nas identificações do complexo edípico que permite a sua resolução. Outro aspecto a ser discutido, para dar conta do objetivo da pesquisa, é a respeito da diferença de gênero, que tem início no meio familiar, em consequência das atitudes dos pais durante a criação dos filhos, assim sendo, é no cotidiano que a criança começa a internalizar o homem e a mulher do futuro. Entretanto, os atributos e os papéis de gênero valorizam o homem em detrimento da mulher, legitimando a dominação deste sobre esta. A carga cultural desempenhada pela criação, vinculada ao modelo familiar, tem grande influência na questão da violência contra a mulher. O que foi aprendido no meio familiar encontra um novo cenário para se manifestar, no momento que se constitui uma relação amorosa, por meio da compulsão à repetição. Portanto, é possível que a mulher mantenha um relacionamento tumultuado, sofrendo violência, pelos mais diversos motivos, que podem ser de ordem subjetiva, emocional, familiar. pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Subjetividade pt_BR
dc.subject Gênero pt_BR
dc.subject Violência pt_BR
dc.subject Mulher pt_BR
dc.subject Psicologia pt_BR
dc.subject Ciências humanas pt_BR
dc.title A violência contra a mulher pt_BR
dc.type TCC pt_BR
mtd2-br.advisor.instituation Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul pt_BR
mtd2-br.advisor.name Flach, Flávia


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account