Qualidade de vida no trabalho: um estudo com servidores da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Independência/RS

Show simple item record

dc.contributor.author Pereira, Diane Costa
dc.date.accessioned 2015-07-23T12:22:14Z
dc.date.available 2014
dc.date.available 2015-07-23T12:22:14Z
dc.date.issued 2015-07-23
dc.identifier.uri http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/2863
dc.description 97 f. pt_BR
dc.description.abstract Nos últimos anos, o mundo do trabalho vem realizando mudanças em sua estrutura, às pessoas passaram a ser consideradas um somatório para a organização e com isto surgiu o conceito de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) que conforme Fernandes (1966) que está ligado a satisfação e valorização no trabalho, sendo que as ações de QVT podem apresentar resultados na área organizacional, como o aumento da produtividade e competitividade Chiavenato (2008) ainda complementa que a QVT refere-se à preocupação com a saúde dos trabalhadores e que a mesma representa o grau de satisfação que os funcionários conseguem alcançar através da realização do seu trabalho. A escolha do assunto para realização do trabalho se dá a partir do princípio que a realização de avaliações das questões de qualidade de vida no trabalho permite a descoberta das causas para desmotivação do trabalhador então as empresas podem criar estratégias para reverter estes fatos, ajudando no desenvolvimento e melhoramento contínuo dos processos de trabalho, serviços e produtos oferecidos pela empresa, sendo que a realização e interpretação adequada de uma pesquisa de QVT poderá tonar as decisões de melhorias mais adequadas. O propósito central da realização desta pesquisa é analisar a opinião dos servidores da secretaria de saúde do município de Independência/RS referente às categorias de QVT, e partir destes resultados analisar e identificar possíveis melhoramentos a serem implementadas com vistas à promoção da QVT dos servidores da organização. A pesquisa se classificou da seguinte maneira: quanto a natureza, classifica-se como aplicada, quanto a abordagem quantitativa e qualitativa, quanto aos objetivos ou fins da pesquisa se classificou como exploratória e descritiva, quanto as procedimentos utilizados os mesmos classificaram-se como pesquisa bibliográfica, documental, de campo, e de levantamento. Os dados da pesquisa foram obtidos através de aplicação de questionários de múltipla escolha, aos 61 servidores da Secretaria de Saúde de Independência/RS, que buscaram analisar a percepção quanto às oito categorias de QVT conforme modelo de Walton, obter informações sobre o perfil dos funcionários e sugestões de melhorias quanto aos fatores de QVT dos entrevistados. Os dados também foram coletados a partir de uma entrevista com a secretária de saúde, para esta entrevista utilizou-se como roteiro um esboço de um plano de ação pré-estruturado elaborado pela pesquisadora a partir dos resultados do questionário aplicado aos colaboradores. A entrevista teve por objetivo elaborar, em conjunto com a secretária de saúde, um plano de ação para realizar melhorias na qualidade de vida no trabalho na organização. A análise dos dados quantitativos aconteceu com o auxilio do programa Excel, para isso realizou-se a tabulação dos dados e elaborou-se tabelas e gráficos que facilitaram a interpretação dos dados coletados, utilizou-se para esta etapa a técnica de análise estatística. Já para os dados qualitativos, coletados através de gravação de áudio da entrevista com a gestora foi utilizada a técnica de análise de conteúdo, para isso fez-se a transcrição das principais partes da entrevista e analisou-se os dados, interpretando-os à luz dos objetivos da pesquisa e com suporte teórico. Dentre os servidores entrevistados, 86% são do gênero feminino, quanto a idade a maioria 46% tem de 33 a 48 anos seguidos por 40% que tem de 19 a 32 anos, 82% são casados ou possuem uma união estável, 40% estão de 2 a 5 anos na organização, 86% são concursados, 38% possuem o ensino técnico, e a maioria 32% afirma que o motivo pelo qual está na organização é que foi atraído pela “estabilidade” que o serviço público oferece. A gestora da organização está na faixa etária de 49 a 67 anos, é casada, possui o ensino superior completo em Serviço Social e está cursando uma especialização em Gestão Pública, e esta na empresa de 6 a 10 anos sendo que a mesma possui experiência de 20 anos em coordenação de empresas publicas e privadas. A categoria de compensação justa e adequada alcançou uma média geral de 2,81. Isso significa que os servidores da Secretaria de Saúde de Independência/RS, não concordam com as práticas adotadas pela secretaria no que se refere à categoria. Conforme Spector (2002) o salário é um fator determinante para a satisfação global no trabalho, sendo que é a justiça de como os salários são distribuídos que determina a satisfação ou não com a quantia recebida. O item que teve maior aceitação pelos servidores foi quanto aos benefícios que conforme Bom Sucesso (2002) estes não são fatores motivadores, porém a falta deles demonstra reclamações. Conforme Spector (2002) as condições físicas do ambiente podem causar efeitos contrários às condições físicas das pessoas e más condições físicas de trabalho, também podem trazer efeitos no bem-estar emocional do empregado e a pergunta referente à percepção destas condições obteve uma média de 2,73, ou seja, os servidores não estão concordando que o ambiente físico esteja adequado para realização de suas tarefas, e em geral a categoria que avalia as condições de trabalho a que os funcionários são submetidos alcançou uma média geral com resultado de 3,24 o que significa que os servidores estão apresentando certa neutralidade quanto às práticas adotadas pela Secretaria. Obteve-se a média de 3,11 na categoria que avalia a utilização e desenvolvimento das capacidades dos servidores, o que leva ao entendimento de que os funcionários estão apresentando certa indiferença uma inclinação não muito distante da não concordância com as práticas adotadas pela empresa nesta categoria. Conforme Garcia (2007) a categoria se diferencia de uma empresa para outra quando as mesmas oferecem e tem práticas de permitir o uso e desenvolvimento das capacidades e conhecimentos do trabalhador, quanto a percepção a autonomia obteve-se uma média de 2,83, ou seja, os servidores não estão de acordo que tem autonomia no local de trabalho e Rossetto (2002) afirma que esta é uma oportunidade do servidor criar um estado psicológico e experimentar a responsabilidade no seu trabalho. Referente à categoria de oportunidades de crescimento e segurança na organização obteve uma média de 2,45 que representa a não concordância das práticas adotadas pela empresa nesta categoria, sendo que esta categoria obteve a média com maior nível de discordância da pesquisa. Para Fernandes (1996) o crescimento pessoal está ligado ao processo de educação continuada que desenvolve as potencialidades da pessoa e aplicação das mesmas no ambiente de trabalho e fora dele. Na categoria de integração social na organização a média alcançada foi de 3,31, o que remete a certa indiferença com leve inclinação para a discordância quanto à categoria. Para Garcia (2007) esta categoria refere-se à possibilidade dos servidores expressarem e desenvolverem suas capacidades individuais em uma ambiente de trabalho. A relação adequada entre os funcionários, que obteve uma média de 3,42, pode ser interpretada como indiferença com uma leve inclinação para concordância, sendo que para Bom Sucesso (2002) conquistar um ambiente de trabalho com qualidade de vida não pode se dar o apoio a aquele que ofende, agride ou humilha os colegas de trabalho. Conforme Rossatto (2002) a categoria de constitucionalismo diz respeito aos direitos e deveres dos trabalhadores dentro da organização, sendo que deve prevalecer um clima de democracia entre as partes empresa/trabalhadores tendo um diálogo aberto e o tratamento justo sobre todos os assuntos. E nesta categoria obteve-se média de 3,40, ou seja, leva a indiferença dos funcionários, esta foi a categoria que obteve a melhor média na pesquisa. A menor média nesta categoria foi quanto ao cumprimento das normas e exigências da secretaria a média ficou com 2,98, ou seja, certa indiferença com elevada inclinação para discordância. A categoria de trabalho e espaço total de vida apresentou uma média de 3,18 que pode ser interpretada como indiferença dos servidores, com certo grau de discordância com o que as questões desta categoria afirmam. De acordo com Rossatto (2002) o trabalho e o espaço total da vida devem ter equilíbrio para que o indivíduo não seja prejudicado pelo excesso de trabalho e para que o mesmo possa ter momentos para sua vida pessoal, seu lazer e sua família. A melhor média obtida nesta categoria, foi de 3,69, no que se refere a percepção dos funcionários quanto ao horário de trabalho, permitindo que o servidor tenha tempo para sua vida social onde os mesmos tem certa indiferença com inclinação para concordância. Conforme Vasconcelos (2001) a categoria de relevância social investiga a percepção do funcionário quanto à imagem da organização em relação à responsabilidade social da instituição com a comunidade e também quanto à qualidade de produtos e prestação de serviços, sendo que a avaliação desta categoria pode auxiliar o avanço das organizações em seu campo de atuação e obteve-se uma média de 3,37 o que pode ser considerando uma indiferença com certa inclinação para discordância com as questões da categoria que refere-se à relevância social da organização. Porém quanto às questões de orgulho pelo serviço realizado e de ser servidor público obteve-se uma média que leva a indiferença com inclinação para concordância, ou seja, ao trabalhar na Secretaria de Saúde os servidores suprem as suas necessidades de estima. Já ao ser perguntados diretamente sobre como está à qualidade de vida no trabalho na Secretaria de Saúde obteve-se uma média de 3,37 uma indiferença com leve inclinação para concordância com as condições adequadas de QVT na organização. Com isto, na análise em percentagens a maioria dos servidores concordam totalmente e concordam somam-se 45% das respostas, contra 32% dos que discordam e discordam totalmente com as práticas de QVT na organização e 23% dos entrevistados mostraram-se indiferentes, não concordando nem discordando, com os fatores de QVT. Ainda pode-se salientar que as categorias que tiveram maior índice de concordância conforme as percentagens foram a de condições de trabalho, com uma soma de 56% das respostas, a de constitucionalismo, com 55% dos entrevistados, e a de relevância social, com 57% da soma de concordo ou concordo totalmente das respostas, porém estes índices de concordância não significam que as condições de QVT estão totalmente adequadas, pois ainda se tem índices de neutralidade e discordância com as práticas da organização nestas categorias. Após a analise das categorias de Qualidade de Vida no Trabalho elaborou-se um plano de ação pra melhorias nos aspectos de QVT, o qual foi elaborado a partir da analise dos resultados das categorias de QVT, das sugestões dos funcionários e juntamente com a gestora da organização. Onde pode-se perceber que os três primeiros itens que os funcionários elencaram, através do questionário, como sugestões de melhorias na condições de QVT o plano de saúde com 31,2% em primeiro lugar, em segundo lugar com 15% as melhorias no ambiente físico de trabalho, em terceiro lugar com 13,4% ficou a capacitação para melhoria da saúde do trabalhador que envolve capacitações, orientações, materiais informativos, entre outras ações. Considerando que todas as sugestões são importantes verificou-se a necessidade de associá-las com a análise das categorias de qualidade de vida no trabalho da organização e elaborar um plano de ação. Conforme o plano de ação elaborado conjuntamente entre a pesquisadora e a gestora, as melhorias irão acontecer no plano de carreira dos servidores, com a implementação de benefício, com melhorias no ambiente físico de trabalho, com elaboração de plano e normas de segurança no trabalho, com a melhoria da comunicação, a partir da avaliação dos funcionários e implementação de treinamentos, de ação para aumentar a cooperação e amizade dos funcionários, através da gestão participativa, da minimização sobrecarga de horas-extras, e da melhoria da imagem da secretaria para população, e as ações para melhorias serão desde a construção de prédios novos até ações menos complexas como implementação de quadro de sugestões e reuniões mensais nos setores e trimestrais com toda a secretaria. Conforme o plano todas as ações irão acontecer durante o período de final de 2014 até o final do 1º semestre de 2016, onde não estaria somente a secretaria de saúde responsável para o desenvolvimento das ações, pois a mesma contará com a ajuda de outra secretarias e setores como a de planejamento, finanças, RH, acessória jurídica, poder executivo, engenharia e também contaria com outras entidades como a 14ª coordenadoria de saúde, sindicato dos servidores municipais e poder legislativo. Diante do plano de ação elaborado sugere-se que o mesmo seja avaliado no final do ano de 2016 para verificar-se as ações foram de fato cumpridas e se seus objetivos foram alcançados e que de fato o grau de insatisfação com as condições de qualidade de vida no trabalho na organização estão diminuindo. Com a realização desta pesquisa proporcionou-se a pesquisadora um conhecimento prático podendo relacionar o que acontece na prática com a teoria estudada, sendo que os objetivos propostos foram plenamente atingidos e também proporcionou o entendimento sobre a importância da realização de pesquisas com a temática qualidade de vida no trabalho. A partir da análise dos dados coletados junto aos servidores da Secretaria de Saúde, que os mesmos se encontram com certa indiferença com leve inclinação para concordância quanto às práticas adotadas nas categorias de condições de trabalho, utilização e desenvolvimento das capacidades, integração social na organização, constitucionalismo, trabalho e espaço total de vida e relevância. Quanto aos fatores de compensação justa e adequada e oportunidades de crescimento e segurança evidenciou-se um grau de discordância quanto às praticas adotadas pela organização que interferem estes aspectos. Então diante dos resultados obtidos pela pesquisa, realizada com os colaboradores, a pesquisadora juntamente com a secretária de saúde elaboraram um plano de ação para melhoria dos aspectos de qualidade de vida no trabalho onde na pesquisa foram apresentados os menores índices de concordância com as praticas já adotadas pela organização. pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Ciências Sociais Aplicadas pt_BR
dc.subject Administração pt_BR
dc.subject Qualidade de vida pt_BR
dc.subject Servidores pt_BR
dc.subject Secretaria de saúde pt_BR
dc.subject Plano de ação pt_BR
dc.title Qualidade de vida no trabalho: um estudo com servidores da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Independência/RS pt_BR
dc.type TCC pt_BR
mtd2-br.advisor.instituation Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul pt_BR
mtd2-br.advisor.name Rockenbach, Cláudia Werle


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account