Gerenciamento de carreira com competências empreendedoras: um estudo com ingressantes, concluintes e egressos do curso de Administração da UNIJUÍ

Show simple item record

dc.contributor.author Metzdorf, Jéssica Regina de Morais
dc.date.accessioned 2016-06-08T13:01:50Z
dc.date.available 2015
dc.date.available 2016-06-08T13:01:50Z
dc.date.issued 2016-06-08
dc.identifier.uri http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/3490
dc.description 124 f. pt_BR
dc.description.abstract O profissional tem sido o portal de entrada para diferenciais competitivos nas organizações. Sabe-se, no entanto, que o conhecimento detido pelo profissional, não se torna uma ferramenta isoladamente, mas em conjunto com habilidades e atitudes para assim formar competências. De acordo com Leme (2005), “competências são os conhecimentos, as habilidades e as atitudes, o CHA, que são os diferenciais de cada pessoa e tem impacto em seu desempenho e consequentemente nos resultados de seu trabalho”. No entanto, o sujeito do processo de formação de competências é o acadêmico, que deve se apropriar das oportunidades durante a graduação para formar tais competências e assim gerir sua carreira. Carreira passa a ideia de um caminho estruturado e organizado no tempo e no espaço que pode ser seguido por alguém (DUTRA, 1996, p.16). O objetivo que norteia o estudo é verificar se os acadêmicos, concluintes e egressos da Unijui se apropriam de conhecimentos, habilidades e atitudes para constituírem competências empreendedoras e gerenciarem suas carreiras com diferenciais competitivos nessa área. Para atingir esse objetivo, se estabelece os seguintes objetivos específicos: buscar referenciais de ensino superior, em especial do curso de administração, na esfera federal e institucional; diagnosticar as percepções de uma amostra de ingressantes, concluintes e egressos do curso de administração, levando em consideração o planejamento, construção e gestão de suas carreiras; analisar referenciais de esfera federal e institucional, bem como o diagnóstico das percepções de ingressantes, concluintes e egressos, e desta análise extrair fragilidades e potencialidades; propor estratégias para que ingressantes, concluintes e egressos da Unijui possam melhor de apropriar das competências empreendedoras para gerenciar sua carreira. A pesquisa se classifica quanto aos fins, em exploratória e explicativa, e quanto aos meios em bibliográfica e de campo. Quanto aos sujeitos de pesquisa e universo amostral, foram selecionados três acadêmicos ingressantes, entre o segundo e terceiro semestre da graduação; três acadêmicos concluintes, entre o nono e décimo semestre da graduação, e três egressos do curso de administração. A primeira coleta de dados se trata da pesquisa bibliográfica, juntamente com as diretrizes curriculares em nível institucional. A segunda parte da coleta se deu por meio de entrevistas diretas com os sujeitos de pesquisa tomando por base roteiros de entrevista distintos para cada patamar estudado (ingressantes, concluintes e egressos). A análise dos dados se deu inicialmente através da transcrição da gravação das entrevistas para serem utilizadas como fonte de dados para o relatório. Após a transcrição, foram selecionados os trechos a serem utilizados como citações na apresentação dos resultados. A interpretação dos dados é dividida em quatro momentos: a apresentação do curso juntamente com suas diretrizes institucionais; as percepções de ingressantes, concluintes e egressos acerca de planejamento de carreira; percepções de ingressantes, concluintes e egressos acerca da construção da carreira; e percepções de ingressantes, concluintes e egressos acerca da gestão de carreira. O planejamento da carreira não é uma prática clara para os acadêmicos de administração. Quando questionados sobre a razão pela qual tomaram a decisão de ingressar no curso, as respostas são em sua maioria vinculadas à carreira que o indivíduo já está inserido. Além desta, pode-se também destacar aderir ao curso em função da diversidade de áreas que é possível atuar sendo bacharel em administração. Quando questionados acerca dos objetivos traçados ao ingressar no curso, percebe-se que a maioria dos acadêmicos e egressos não possuíam intensões claras sobre a carreira, como em que área pretendem atuar. No caso dos ingressantes, os objetivos que mais se sobressaem apontam para o aproveitamento do curso e da caminhada acadêmica como uma oportunidade de acumular aprendizados, como e fosse uma bagagem para posteriormente construir a carreira, inclusive essa é uma das estratégias a serem tomadas para constituir as competências propostas pelo curso, o aprendizado e aproveitamento dos conhecimentos, das oportunidades que a universidade oferece e do corpo docente. Nos relatos dos concluintes e egressos, também se percebe a ausência de objetivos ao ingressar no curso. Porém como estão no fim da graduação ou já concluíram, tem uma visão mais abrangente quanto às transformações que o curso desencadeou em suas vidas e carreiras, pois já fazem a análise do quanto conseguiram se apropriar das competências desenvolvidas. No relato dos concluintes e egressos, houve falta de orientação por parte do curso no início da graduação. Portanto, os acadêmicos não ingressam no curso com objetivos específicos a serem atingidos, e enquanto universidade, é necessário auxiliar na formação desses objetivos, mostrando claramente ao acadêmico o que ele deve se tornar ou buscar se tornar durante a graduação de um modo que esteja dentro de seu limite de compreensão acerca de uma profissão que recém começa a ser descoberta. E, com relação a planejamento de carreira, se percebe que o que mais vale é a atitude do acadêmico em querer aprender e absorver a proposta do curso do que propriamente saber o que quer logo no início. Com relação à construção, a graduação passa a transformar a carreira dos acadêmicos. No caso de ingressantes, já existem percepções de mudanças em função da aplicação dos conhecimentos em sua rotina de trabalho. Quando questionados de como pretendem se apropriar das oportunidades oferecidas no decorrer do curso, relatam o interesse em absorver ao máximo o conhecimento a qual terão acesso. Também se referem as transformações não somente na rotina de trabalho, mas em seu cotidiano e em sua família. Outra ferramenta, é o ingresso em atividades extracurriculares, como a Empresa Júnior. Na percepção de concluintes, a tentativa do curso de desenvolver habilidades e atitudes foi visto de modo mais convincente em determinados componentes, nos quais as metodologias dos professores tinham abordagem pratica, que possibilitou a absorção dos conhecimentos através da relação com a realidade, e também constituiu competências através de algumas atividades, como os relatórios de estudo realizados em empresas da cidade e região. Também é possível destacar a participação como bolsista e outras iniciativas que contribuíram para a formação de competências. Na percepção de egressos, há relatos das transformações que o curso foi realizando em suas carreiras, pois por estarem fora da universidade, tem mais facilidade de realizar o diagnóstico da experiência na graduação. Também relatam as dificuldades, a forma com que buscavam visualizar os conteúdos no contexto organizacional em que estavam inseridos. Com relação à construção, o fator determinante é a consciência por parte do acadêmico de que as ações do presente têm relação direta com o alcance dos objetivos e sucesso na carreira. Por parte da universidade, a cada componente é necessário haver esforços para deixar claro as competências que o componente busca desenvolver, além de utilizar metodologias que possibilitem a atividade prática e aproximação do acadêmico não só da realidade organizacional, mas da realidade organizacional da sua cidade e região, para que possa visualizar seu campo de atuação, e não tenha a visão se que só poderá exercer a profissão em grandes centros ou grandes empresas. Com relação a gestão de carreira, a expressão determinante é estar atento. As percepções de ingressantes ocorrem dentro do viés das expectativas, como pretendem estar no fim da graduação, como se visualizam. Na percepção de concluintes, há alguns receios com relação ao mercado, em função de ter desenvolvido apenas atividades acadêmicas. Outros relatos apontam para o início de uma nova carreira após a conclusão da graduação, e também a ampliação dos negócios da família. De acordo com egressos, que fazem um diagnóstico sólido da realidade tendo em vista suas experiências após a graduação, destacam que a principal habilidade do administrador na gestão de carreira é estar atento tanto às oportunidades quanto ao mercado que vive em constante mudança, para não se tornar obsoleto e para que a carreira não se esgote. A respeito da universidade, deve-se concentrar esforços para constituir competências empreendedoras para exercer a profissão, mas também para gerir a carreira. Também deve-se manter a comunicação com egressos, através da participação destes nas atividades da universidade e também os aproximando dos acadêmicos para trocas de experiências. Também deve haver por parte da universidade o estimulo à educação continuada. Acerca do planejamento da carreira, o fator determinante é a atitude do acadêmico em buscar o conhecimento e o desenvolvimento de competências. A universidade deve guiar o acadêmico e deixar claro o objetivo da graduação na sua carreira. A respeito da construção, o acadêmico deve ter consciência de que as ações presentes determinam o alcance dos resultados almejados. Também deve haver a aproximação das abordagens do curso da realidade organizacional da cidade e região, além de promover ações contínuas de formação de competências a cada componente. Acerca da gestão estar atento as oportunidades e ao mercado são os meios de não se tornar um profissional obsoleto e não haver o esgotamento da carreira. Por parte da universidade, a aproximação do egresso com os acadêmicos e também o estimulo à educação continuada são estratégias que podem ser implementadas sem demandar recursos específicos. A universidade tem a função de transformar a vida e a carreira dos acadêmicos, e estes também irão agir como agentes transformadores. pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Ciências Sociais Aplicadas pt_BR
dc.subject Administração pt_BR
dc.subject Carreira pt_BR
dc.subject Competências empreendedoras pt_BR
dc.title Gerenciamento de carreira com competências empreendedoras: um estudo com ingressantes, concluintes e egressos do curso de Administração da UNIJUÍ pt_BR
dc.type TCC pt_BR
mtd2-br.advisor.instituation Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul pt_BR
mtd2-br.advisor.name Drews, Gustavo Arno


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account